segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

A vida e seus mistérios...

"Pra que levar a vida tão a sério, a mesma tem lá os seus mistérios, é cheia de surpresas e o futuro é incerto com certeza"

Com esta frase do Eudes Batista de Paula, vou contar para vocês o que me aconteceu neste fim de semana.
Sábado estava nos meus afazeres domésticos, quando, por conta do calor, me senti mal e resolvi deitar um pouco. Antes de dormir,  lembrei-me da Déia e veio este pensamento: "vou falar com o Luiz, tá na hora de achar outro bebê, vou começar a procurar nos sites, blogs e falar com o povo".
Algum tempo depois, o Lu veio me chamar para almoçar, levantei e antes de chegar a mesa, alguém me chamou no portão, coisa rara, diga-se de passagem, pois meu relacionamento na vizinhança é: Bom Dia, Boa Tarde. Vocês, ai do outro lado da tela, sabem mais de mim do que os meus vizinhos.Continuando, era uma vizinha que também recolhe cães de rua e que me disse o seguinte: "Desculpa te incomodar, só bati aqui porque sei que você gosta de Fila. Quer uma fêmea de 45 dias?" Gente, o coração veio na garganta. Perguntei baixinho: Como? Ela repetiu...

Desde que a Dedechas se foi, não houve um dia, nesses 8 meses, que eu tenha deixado de lembra-la. Andei por esse mundo virtual, procurando outro cão, me sensibilizei com inúmeras histórias, chorei por eles, pela maldade e pelo descaso do ser humano com quem depende dele. Recebo, diariamente, 5,6 pedidos de ajuda, adoção, remédios, comida, casa de passagem, enfim, ajudo naquilo que está ao meu alcance, mas não me animei a pegar qualquer um deles, pois na realidade eu procurava o meu bebê em cada um, até que desisti.

Entrei, com os olhos cheios d'agua, me servi e perguntei: O que vocês acham da gente ter um novo bebê em casa?...

Taí, Jade, 5 kilos de fofura, mais ou menos 45 dias, mais ou menos Fila,  mas com certeza, já muito querida por todos nós! Seja bem vinda, Jade!

Agora sei que vou amar a Jade pela Jade e continuar amando a Deia, só que com menos sofrimento.
Quanto aos outros? Bem, o Tobias está ameaçando amarar uma pedra na coleira e se jogar na piscina, a Aida jura que vai fazer as trouxas e se mandar, outros cães estão fazendo motim e os gatos, com sempre, "ignorando", pois aquilo que eu não vejo, eu não sinto.
Abraços

domingo, 6 de fevereiro de 2011

Zzzzzzzzzz

Esse negócio de artesanato dá um soninho.....

Quem disse que não dava?

Quando vim para Porto Alegre, senti falta de algumas frutas, que devido ao clima, por aqui não tem. Coco verde, banana da terra, jaca, abiu, cajá e manga, entre outras. Ora dires, aqui no sul tem manga, você está indo no mercado errado! Tá, não me expliquei direito. Tem manga tommy e haden (que para mim não passam de manga rosa), grandes e massudas. Mas, espada e carlotinha," num" tem. Tanto que, entre dezembro e janeiro, quando tem portador, eu" importo" algumas do Rio. Acontece que, há três anos, me deparei com uma muda. Não acreditei, parecia uma miragem. Levei e plantei. Taí.  Só vai ficar madura no final de fevereiro em diante, mas tudo bem, mato minha vontade e ainda vendo para mais algum carioca saudoso! Brincadeiras à parte, a manga espada é mais fibrosa que as acima citadas, além do sabor ímpar. Quando madura, ela  fica com umas pintinhas escuras ao invés de amarelar ou ficar rosada. E tem mais, aqui não é só manga que dá na mangueira. Agora, com licença, vou babar as minhas mangas e espantar o gato. Beijos.