segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Evolução. ( ou conclusão lógica)




A falta do que fazer é triste. Olha o que gera uma mente em noites de insônia.Texto meu e os fatos verdadeiros.
Quando eu era criança, aonde quer que fosse, era conhecida como a "filha da Isinha". Cresci, pari o Leandro e passei a ser conhecida como a "mãe do Leandro". Conclusão: de filha da p***, passei a ser a p*** que pariu.

Obs. Levei 2 meses decidindo, posta ou não posta, e como essa noite só dormi após as 4:00hs, então vai!

2 comentários:

Rutha/Pink/Barum/Luna disse...

Eu também ! Parece que não temos identidade nenhuma...será que é tão difícil ser eu mesma, sem ser filha ou mãe de alguém ? Acho isso muito machista, porque nem sempre se aplica aos homens.
Beijos
Laís

Clarice disse...

hahaha! Em noites de insônia eu não gero piadas tão bem criadas. Fico consertando o mundo todo(ou limpando o chão que o au au emporcalha quando adoece-esta noite foi assim).
Passei de filha do De Marco, a filha da Dona Wilma. Nem vou contar os tantos apelidos. Mas nosso destino, quando temos filhos é sempre-felizmente!- carregar os filhos no sobrenome. Depois vira a tia, a sogra, a vó... De ser a mulher do Fulano pelo enos escapei!Mas não é exclusividade nossa. Aos homens cabe igual destino. Bem feito! Pelo menos profissionalmente conseguimos um nome.
Abraços, vizinha.